ONG paulista produz Mickey 100% nacional e empodera mulheres

Vanina Pinheiro
Mickeys de plush
Mickeys de plush produzidos pela Ong Orienta Vida

Pelúcias de Mickeys em todas as cores dão às boas vindas aos visitantes na nova Pop Up Store do Shopping Iguatemi de São Paulo. Durante o mês de outubro, os lindos bonecos, ursinhos, naninhas, nécessaires e produtos licenciados da campanha Pense Rosa de prevenção ao câncer de mama preenchem com charme e beleza o amplo espaço destinado ao stand temporário da ONG Orientavida. Não é preciso nenhum olhar muito apurado para reconhecer o bom gosto e a qualidade dos produtos. O encantamento aumenta ainda mais quando se conhece a história por trás das peças. Elas foram feitas uma a uma, pelas mãos de bordadeiras, costureiras, donas de casa do município de Potim e arredores, no interior de São Paulo. Muitas dessas mulheres não tinham nenhuma ocupação e se encontravam em situação de vulnerabilidade social até conhecerem a ONG e passarem pelos cursos de capacitação como corte, costura e bordado. Oferecer uma alternativa de renda e ocupação para as mulheres é a essência do trabalho da ONG. E já são quase 20 anos transformando vidas.

Potim: sede da produção

Com um sorriso largo e uma energia cativante, Maria Celeste Chad, a diretora e fundadora da ONG, nos recebe na confecção em Potim, município vizinho à cidade de Aparecida e distante 160 quilômetros de São Paulo. O amplo galpão concentra a força de trabalho: costureiras, bordadeiras, suas máquinas e os lindos tecidos exclusivos cedidos por importantes parceiros como a famosa marca inglesa de tecidos Liberty. Celeste destaca com gosto cada parceria, cada conquista, cada detalhe que contribui para alto padrão dos produtos. Ela está na linha de frente de ideias, projetos, protótipos ou negociações da ONG em todas as diferentes áreas de atuação.

costureiras e bordadeiras na Orientavida / crédito foto: Vanina Pinheiro
costureiras e bordadeiras na Orientavida / crédito foto: Vanina Pinheiro.

O reconhecimento do esforço e trabalho das mulheres veio rapidamente. Celeste nos conta que a primeira investida foi na venda de bolsas bordadas em consignação para uma importante confecção feminina da capital paulista. As vendas surpreenderam, as encomendas aumentaram e foram demandadas também pelo mercado de decoração. Atualmente, as criações da ONG contribuem ainda em projetos personalizados feitos em parceria com decoradores, artistas e designers como Ana Strumpf, Adriana Peliano e os Irmãos Campana.

Maria Celeste Chad, fundadora da Ong.
Maria Celeste Chad, fundadora da Ong / crédito foto: Vanina Pinheiro

Mickey customizado é exclusividade brasileira

Um dos grandes orgulhos da ONG é parceria com a Walt Disney. A Orientavida é a única ONG brasileira no mundo a ter licença para a fabricação de produtos da Disney. A ONG tem liberdade de criação, uma grande vantagem ao consumidor brasileiro que pode contar com versões exclusivas e com produto 100% nacional. E não falta criatividade para esses bonecos. No balcão da loja, encontramos Mickey e Minnies em diferentes tamanhos e versões: coloridos, estampados, geométricos, de plush, de couro, jeans, etc.

A parceria Disney permite também a curadoria de exposições, como a “Experiência Alice”, comemorativa dos 150 anos da personagem de Lewis Carrol no livro “Alice no País das Maravilhas”. A exposição reúne vários cenários de pura magia e interatividade para crianças e famílias. Já passou por São Paulo, está atualmente em Fortaleza e em negociações para ir à Brasília.

Projetos Sociais

A renda arrecadada da ONG é revertida para manutenção de projetos sociais como o de geração de renda e os cursos profissionalizantes variados. Hoje, são quase 50 funcionários fixos contratados. Em maio deste ano, um projeto realizado junto ao presídio feminino de Tremembé envolveu 120 detentas na produção de bordados em bolsas, nécessaires, clutchs entre outros brindes de dia das mães que foram distribuídos na rede de Shoppings Iguatemi. A contratação temporária teve impacto positivo na vida das mulheres que podem se beneficiar com a redução de um dia de pena para cada três dias de trabalho. Além disso, as mulheres podem contar com a ajuda da ONG para reinserção no mercado trabalhos após deixarem o presídio.

Se você também se encantou com o trabalho e os produtos da ONG, faça uma visitinha no site e na loja online: www.orientavida.org.br