Cuide bem da sua memória afetiva

avatar de Git Ikeda
Git Ikeda

Você é daquelas pessoas que amam fotografar, tiram foto de tudo pra não perder nenhum detalhe, mas ao mesmo tempo não tem um álbum recente em casa porque justamente tem fotos demais? Se sim, então este texto é pra você.

Minha profissão me condena, sou apaixonada por fotografia, acredito que as fotos ajudam a construir nossa memória afetiva. Por isso quero dar algumas dicas para ajudar você a cuidar melhor deste material tão precioso. Não pretendo dar uma aula sobre as tecnologias de armazenamento digital disponíveis, pois existem muitas e em diversos formatos como Google Fotos, DropBox, OneDrive. Basta pesquisar e você vai encontrar o que te atenda melhor. Minhas dicas são mais ligadas a uma rotina de seleção, organização e valorização das suas fotos.

Vamos a elas!

Desapegue de fotos desinteressantes

Sim, apague as fotos que não são boas ou importantes. Lembre-se de que temos muitas, deletar parte delas só vai te ajudar a dar visibilidade para as melhores. Minha sugestão é apagar as fotos descritas abaixo.

  • com problemas técnicos: sem foco, tremidas, muito escuras ou muito claras
  • repetidas ou muito parecidas, neste caso escolha somente uma, a melhor
  • sem significado (muitas vezes fotografamos coisas que são legais na hora e depois perdem importância)

Crie uma pasta com suas fotos preferidas

Guarde nesta pasta somente fotos que você considera especiais, “dignas de colocar em um porta retrato” como diria minha mãe. Para mim elas têm que ter: emoção, beleza, pessoas ou momentos marcantes. Se esta descrição não ajudou muito porque todas as fotos dos filhos são lindas, minha sugestão mais prática é restringir o número de imagens por evento:

  • 3 a 5 para fotos do cotidiano (aquelas no parquinho, em casa, restaurantes etc)
  • 20 para festas e viagens

Ao final de um ano você terá uma pasta com 100 a 200 fotos realmente boas e significativas para montar de forma mais fácil um fotolivro, álbum ou o que desejar.

Siga as regras básicas de organização de fotos

  1. Centralize: salve todas as fotos um mesmo lugar e em uma única pasta com nome de Fotos. Eu salvo no meu HD externo para deixar a memória do computador livre, mas pode ser no seu computador ou na nuvem. Lembre-se de acessar todos os dispositivos que você fotografa: celulares, máquinas fotográficas e tablets
  2. Categorize: crie categorias e subcategorias para facilitar sua busca (ex.categorias família, trabalho, eu / subcategoria de família: filhos, natal, férias)
  3. Seja consistente: use da mesma forma os nomes de pessoas e eventos e sempre coloque datas (ex. natal_2016, aniversario_3anos),
  4. Tenha backup: a regra aqui é ter suas fotos em pelo menos 2 locais e com tecnologias diferentes (ex. computador, HD externo, nuvem…)
  5. Faça as etapas 1 e 4 uma vez por mês. Coloque na agenda para não esquecer.

Acrescente descrições emotivas

Pode ser um momento, uma roupa especial ou só um local, essas descrições ajudam a mostrar o que foi diferente e único naquela ocasião. Um bom exemplo é o Natal. Eu tenho mais de 10 pastas só com lembranças dessa data e teria muita dificuldade de localizar determinada foto se não usasse esse recurso.

Escrevi alguns exemplos pessoais para facilitar:

  • Natal_2010_julia_andando: foi quando minha sobrinha deu os primeiros passinhos
  • Natal_2012_beijo: flagrei um beijinho inocente entre primos e sua reação maravilhosa.

Deu para entender? É mais fácil lembrar os momentos especiais e as fotos que os representam, do que só descrições genéricas e numéricas.

E aqui acabam as primeiras dicas, espero que ajude a organizar melhor suas fotos e que você possa aproveitá-las de forma tranquila e prazerosa.

Veja abaixo a sequência do beijo do natal de 2012, fotos especiais da minha família que não posso perder.