A magia do circo

avatar de Talita Pryngler
Talita Pryngler

​Para mim a imagem que melhor define a infância é a do circo. Se olharmos de perto, dá para vermos tantos elementos da criança e seu modo de viver o mundo naquele picadeiro, que faz voltar na memória do corpo a lembrança deliciosa de sentir medo e fascínio diante de um número aéreo de um acrobata. O circo é território da presença, do corpo e do brincar. Como bem diz Renata Meirelles, pesquisadora do brincar: A criança é no brincar.

Para começar, tudo acontece debaixo de uma lona, ali naquele mundo mágico erguido e nômade que muito se parece com as inúmeras cabanas que as crianças constroem minuciosamente com os lençóis e as almofadas dos sofás. Aquele espaço é morada do imaginário, onde tudo é possível e só entra ali quem quiser partilhar da brincadeira. Faz também lembrar do corpo infantil, leve, ágil, confiante e desafiador. O corpo que experimenta o salto, o balanço, firme e determinado pelo desejo de subir mais alto, usufruindo da gravidade para calcular, com a inteligência da confiança, a beleza de retornar ao chão.

Os voos deslumbrantes nos tecidos, aquele balé no alto, fazem lembrar a imagem de uma criança ao subir em uma árvore. Ela trepa, agarra com as pernas, usa o braço para subir mais alto, se lança para outro galho, trepa de novo, então se balança, pendurada pelas pernas até decidir descer. Seu corpo reúne força e habilidade enquanto se movimenta.

Aquela bela moça, muito concentrada, andando em cima de uma corda bamba parece encarnar a leveza de uma pluma. O corpo ganha nova forma, para atender a capacidade de realizar aquele número. Quantas vezes assistimos as crianças realizarem feitos desta natureza!

Sem falar nos palhaços, aqueles seres sensíveis e simpáticos que conseguem trazer graça ao cotidiano, rindo da vida e das trapalhadas. Deveria ser proibido perder esta capacidade.

Ir ao circo Zanni realmente me fez lembrar do “devir” da infância, esse estado de fluxo permanente. Aquela imagem da tenda toda iluminada montada num parque público é encantadora. O circo é riquíssimo, um dos poucos que ainda conserva uma maravilhosa banda ao vivo, embalando e acompanhando todos os números. Uma mistura de clássico e contemporâneo realizado com muito profissionalismo e paixão.

Gratuito e num parque público de São Paulo! Imperdível!!

Nota da editora: A Mostra Circo Zanni no Parque do Povo encerra temporada no dia 11/3. Confira a programação dos próximos dias:

  • Experimento Circo (Circo Amarillo): 07/03 - 18h e 20h
  • Balbúrdia (Cia Artinerant’s): 08 e 09/03 - 18h e 20h
  • Espetáculo Circo Zanni: 10 e 11/03 - sáb às 17h e 20h e dom às 17h e 19h30

por Talita Pryngler em colunas, experiências.

Talita Pryngler é psicóloga (PUC-SP), psicanalista (Sedes Sapientiae) com especialização em educação de 0 a 3 anos (ISE - Vera Cruz) em desenvolvimento motor (Núcleo do Movimento - André Trindade) e Intervenção preciosíssima de bebês e seus pais (Instituto Langage). Idealizou e coordena o Espaço Bebê da Hebraica, é consultora na área desenvolvendo projetos para primeira infância e atende em consultório particular crianças, adolescentes e adultos. Atualmente integra o corpo de professores do instituto Gerar de psicologia perinatal. É mãe de duas meninas e adora o universo da infância.