Deus do Raio. Rainha do mar.

avatar de Maria Manuela Moog
Maria Manuela Moog

Dia 02 de Fevereiro foi o Dia de Iemanjá!

Salve a rainha do mar!

Salve a cultura afro-descendente!

Quando em contato com a natureza, me sinto perto de uma força que me toma e me transcende. Há na natureza um mistério, um encanto que é difícil apreender. Assim, é natural que a tentemos “humanizá-la” de alguma forma, para que essa potência caiba na nossa pequenez humana.

A força da natureza está no âmago de muitas tradições e me sinto cada vez mais atraída e conectada com uma espiritualidade que se manifesta no desabrochar de uma flor ou no céu prateado por trovões.

Comecei a conhecer mais sobre a religião de matriz africana “depois de velha” e lamento. Sei mais sobre as tradições dos antigos gregos do que dos povos africanos - vê se pode?!

Por isso, aproveito a popularidade de Iemanjá , “que pra alguns é branca, mas pra nós é pretinha” como diria Emicida, e divulgo aqui um livro que chegou recentemente às minhas mãos e que deveria ter na bibliotecas de todas as escolas desse país e nas casas com crianças espertas e curiosas:

“Conhecendo os Orixás - de Exú a Oxalá” da educadora e escritora Waldete Tristão com ilustrações de Caco Bressane.

Um livro que amaria ter lido quando criança mas que desejo ler ainda hoje. Já sei que Zeus é o deus do raio, mas amei aprender que Xangô é o orixá do Trovão e da Justiça. Vamos exercer essa divindade?

Divulgação
Divulgação

por Maria Manuela Moog em colunas, arte e Percepção.

Maria Manuela Moog é graduada em Artes Cênicas, pós-graduada em Arte e Filosofia pela PUC-Rio e atualmente cursa o Mestrado na Universidade Nova de Lisboa. Se encantou pelo universo artístico aos sete anos quando interpretou um duende na peça de teatro da escola, e desde então é uma operária da arte. Acredita que pessoas interessadas são pessoas interessantes e a melhor forma de absorver experiências é pelo afeto. Por isso, procura criar e fomentar arte em todas as esferas.