Na educação das crianças são as pequenas coisas que importam, e muito

Vanessa Skilnik

​Durante uma das minhas buscas por TEDs interessantes, encontrei a palestra “As lições do mais longo estudo sobre desenvolvimento humano” da cientista e jornalista britânica Helen Pearson.

Ela fala sobre (ma)paternidade com base no estudo “British Cohort”, iniciado em 1946 no Reino Unido após a segunda Guerra e repetido por gerações, que hoje é considerado uma das mais ricas base de dados disponível para avaliar o desenvolvimento humano. Foram mais de 70.000 entrevistas e dados coletados durante 70 anos!

A pesquisadora inicia a palestra com uma mensagem impactante: tente não nascer pobre! Crianças nascidas em famílias desfavorecidas tendem a enfrentar mais problemas em diversas searas da vida. Na sequência ela já vem com uma boa notícia avisando que, como não escolhemos nossas famílias, “Parenting matters” (a educação importa).

O estudo comprova que o comportamento dos pais pode reduzir as desvantagens econômicas, e melhor ainda, através de comportamentos simples e acessíveis. Ela afirma: “Ser um bom pai é mais fácil do que vc pensa.”

Para chegar às conclusões apresentadas, ela avaliou isoladamente dados sobre famílias menos favorecidas e identificou traços que fizeram diferença para reduzir a desvantagem econômica inicial das crianças pertencentes ao grupo. Eis alguns:

  • Conversar e ouvir seus filhos
  • Deixar claro que você tem ambições para o futuro deles
  • Ensinar-lhes letras e números
  • Leva-los para passeios
  • Ler para eles diariamente (e encorajando-os a ler por prazer)
  • Manter horário regular para dormir

Apesar dos comportamentos serem básicos e essenciais, eles podem se perder na vida moderna, enquanto corremos de um compromisso para o outros com as crianças - acreditando que uma agenda de aulas e atividades fará a grande diferença. Ela confessa que estava tão ocupada em escrever o seu livro, que passou um bom tempo sem conversar direito com seus filhos, mas que agora reserva 15 minutos para falar sobre os seus dias e os coloca na cama em horários estipulados. “Quando você está gritando para seus filhos irem para a cama na hora certa, realmente ajuda saber que há um embasamento cientifico para isso”, ela brinca, e a plateia ri.

Os estudos demonstram que comportamentos simples, porém às vezes difíceis de manter o dia a dia, reduzem a distância entre crianças com o melhor e o pior começo na vida em surpreendentes 50%. E ela deixa a mensagem: Quando se trata de ser pai, as pequenas coisas importam, e importam muito.

As principais conclusão do estudo foram registradas no livro “The Life Project: The Extraordinary Story of 70,000 Ordinary Lives Paperback”, só disponível em inglês pelo link abaixo.

Assista a palestra por aqui, recomendo!