“Quem ama, educa” de Içambi Tiva

avatar de Vivian Wrona Vainzof
Vivian Wrona Vainzof

Içami Tiba foi um dos primeiros autores que li sobre o tema da educação familiar.

No seu “Quem Ama, Educa!” ele deixa claro, antes mesmo de abrir o livro, que o amor puro e incondicional não é suficiente para formar indivíduos emocionalmente sadios e responsáveis. Me lembro de ler, mãe de um bebezinho ainda, e confirmar a minha descoberta de que educar não era instintivo. Criar é natural, é inato, o tempo cuida de cumprir. Mas a constituição de um indivíduo com os valores que se acredita, exige bem mais da gente, porque é a contramão do impulso materno. Por isso, achei que valia a pena compartilhar aqui alguns pontos destacados pelo site pensar contemporâneo e que concordo tanto.

  1. É preciso ter o “pulso forte” “Cria uma criança é fácil, basta satisfazer-lhe as vontades. Educar é trabalhoso.” Transmitir responsabilidade e respeito não são alguns dos ingredientes básicos para a educação dos “adultos de amanhã”. Portanto, esteja disposto e preparado para este trabalho duro.
  2. Menos culpa e mais responsabilidade “O principal “veneno” da educação dos filhos é a culpa. Culpa de trabalhar fora, quando pensa que devia estar com os filhos. Culpa de estar com os filhos, quando acha que devia estar trabalhando.” Saiba organizar o tempo para conseguir “estar por completo”, seja no trabalho ou com a família.
  3. Crie seu filho para voar “Os filhos são como navios… a segurança dos navios é o porto, mas eles foram construídos para singrar os mares.” É difícil para os pais imaginar nos seus filhos “sozinhos”, mas a educação deve ser direcionada para formar indivíduos que saibam viver neste mundo. A gente não cria os filhos para nós mesmos. Chegará um momento em que precisarão usar todo o conhecimento e experiência que adquiriram ao lado da família e escola e, simplesmente, cair de cabeça no mundo.
  4. Dando exemplos “Você quer educar? Seja educado. E ser educado não é falar ‘licença’ e ‘obrigado’. Ser educado é ser ético, progressivo, empático e feliz.” Reflita sobre o seu comportamento e atitudes. Será que sou sempre um bom exemplo?
  5. Educando em prol de um futuro melhor “Nenhum projeto é viável se não começa a construir-se desde já: o futuro será o que começamos a fazer dele no presente.” Educar é a base para a formação de indivíduos melhores e, consequentemente, de uma sociedade mais harmoniosa e com respeito ao próximo.
  6. Todos temos responsabilidades! “O erro mais frequente na educação dos filhos é colocá-los no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço de alguém educado para ser o centro do universo.”
  7. Saber o valor das coisas é importante Ter tudo o que quer pode ser prejudicial. Mesmo que os pais tenham condições, precisam controlar e ensinar a valorizar o que se tem. Dinheiro não nasce em árvores e é importante que a criança entenda isso desde cedo.
  8. Pais, não fujam da responsabilidade! “A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório, filho é para sempre.” Muitos pais e responsáveis “jogam” a principal responsabilidade da educação dos filhos nas mãos dos professores e educadores. Mesmo estes sendo importantes para o desenvolvimento educacional, o leito familiar é a principal fonte.
  9. Construindo a ordem “Não há uma idade ideal para começar a se trabalhar disciplina. Pais que querem filhos disciplinados precisam proporcionar um ritmo básico para eles. Quem não tem ritmo desobedece, porque a normalidade para ele é justamente a falta de ordem.”
  10. Senso de Justiça “Dar a mesma coisa para o filho que acertou e para o que errou não é bom para nenhum dos dois. É preciso ser justo.”
  11. A consequência da falta de educação… “Nenhuma criança nasce folgada, ela aprende a ser.”
  12. Uma guia e proteção para toda a vida “Jovens que não tiveram nenhuma educação em valores vivem e aprendem o que aparece no momento, deixam-se levar por aquilo que é vigente. Quem tem valores sólidos dentro de si é capaz de olhar para uma situação sem ser envolvido por ela, e pode analisá-la e criticá-la.” Educar é ajudar a formar a personalidade e caráter do indivíduo. Quando esta formação é feita como se dever, é de se esperar que o jovem reconheça quais são os caminhos certos e errados na vida, e saiba escolher o melhor.
  13. Dando os primeiros passos “A adolescência é um segundo parto: nascer da família para andar sozinho na sociedade.” Lembra de “criar os filhos para o mundo”? É a partir da adolescência que o jovem começa a dar os primeiros passos pelo mundo a fora. Toda a educação que foi transmitida pela família, principalmente, começará a se refletir e dar resultados quando o indivíduo começar a manter o seu contato com a sociedade.
  14. A atual “riqueza” não é material “No milênio passado, era rico quem tinha propriedades. Hoje, a riqueza está em adquirir conhecimento e saber aplicá-los. É importante que tenhamos consciência disso tudo e procuremos, por meio de ações e palavras, transmitir às crianças e aos jovens o valor do estudo para eles mesmos e para a sociedade.”
  15. Simples como isso! “Quem ama, educa!” Pode parecer clichê, mas a base para uma excelente educação é o amor. Ele tem que ser o motor para educar!