Um dia na Estalagem Terra Nova

Adriano Bisker

“Você conhece este lugar? Olha as fotos, que incrível!”

Foi assim que uma amiga me apresentou a Estalagem Terra Nova. Exceto pelas lindas fotos do Instagram, mal tinha informações sobre o local. E como adoro descobrir novos lugares, decidi partir para conhecer.

Próxima a São Paulo, a Estalagem fica em Nazaré Paulista, cerca de 1 hora de viagem.

A primeira impressão ao chegar ao local foi um longo UAU das minhas meninas. A Estalagem não era nada pequena, com diversos caminhos a seguir. Fomos em direção ao espaço reservado para a ocasião: um charmoso jardim com diversas mesas espalhadas, de frente para um lago e rapidamente direcionados para a nossa mesa reservada,

E era hora de fazer os primeiros reconhecimentos: seguia minhas filhas e tomei um susto quando elas gritaram OLHA AQUILO a ver o chamado “Fogo de Chão”, onde diversos cortes de carnes ficam em uma espécie de varal e o fogo, literalmente no chão. O cheiro, estava convidativo demais. Mais para dentro, um largo salão onde era servido um vasto buffet com opções de saladas, legumes, acompanhamentos e as sobremesas.

Imediatamente me chamou a atenção o protocolo de segurança imposto: uso de máscaras obrigatório para circular no local, distanciamento entre as mesas (todas em ambientes abertos e com álcool gel), medição de temperatura e a obrigatoriedade de colocar a luva descartável para se servir do buffet.

Aproveitei para bater um papo com a hostess que me contou que a Estalagem Terra Nova ainda estar no esquema Soft Opening para fazer todos os ajustes necessários antes da inauguração oficial. Não identifiquei estes ajustes necessários, por mim está tudo pronto! Acredito que era o mesmo pensamento dos demais que estavam no local, pois todas as mesas estavam ocupadas por famílias diversas.

Como chegamos na hora do almoço, partimos para a comilança… Delícia! Estava com saudades de um churrasco!

Tudo gira em torno do fogo de chão: carnes e vegetais preparados de forma artesanal, na lenha, através da defumação. Um processo longo, que se inicia antes mesmo do sol nascer, onde, de forma rústica, são pendurados em varais, adquirindo lentamente um sabor surpreendente. Veja o que é servido sempre: costela de fogo de chão, cupim na manteiga, fraldinha defumada, frango na mostarda defumado no varal, linguiças defumados, porco à Paraguaia (finalizado com purê de mandioca, mandioquinha, queijo coalho, bacon crocante e salsinha), purê de abóbora cabotia com queijo gorgonzola na brasa, mix de legumes salteados no fogo (opcional molho tarê e castanha de caju) e abacaxi assado, tudo conduzido pelo mestre Gibão.

O buffet não fica atrás. Saladas variadas, acompanhamentos deliciosos que me fizeram repetir não duas vezes e sim diversas vezes! E as sobremesas? (sim, comemos muito, mas para doces sempre tem espaço extra!) servem doces típicos de “avós da fazenda!” E tudo isso regado a uma trilha sonora gostosa comandada pela dupla Maurício e Murillo, que trazem um tempero extra ao evento.

As minhas filhas? Além de comerem tudo, ficavam brincando em segurança no parquinho ao lado das mesas.

E fomos conhecer o conhecer o local: todo o espaço fica à disposição para conhecer e aproveitar. Além de poder comer a hora que quiser, podemos ir ver a ordenha das vacas, dar mamadeira para os bezerros, passear de cavalo, pescar no lago (tem piscina, mas não está liberada por segurança) jogar bola nos campos, brincar no parque, caminhar pela mini trilha até a cachoeira….

Adorei as diversas redes espalhadas pelas sombras do bosque, trazendo uma sensação de paz gostosa, bem como a trilha até a pequena cachoeira, onde tiramos nossos tênis e entramos na fria e deliciosa água… As minhas filhas nunca tinham visto uma cachoeira, elas piraram! Ah.. a magia da natureza!

Para quem quer se exercitar as quadra de tênis, poliesportiva e campo de futebol, bem como a Pista de caminhada e bike para os pequenos estão liberadas, sendo que cada um tem que levar o seu material, sem custos adicional para estas atividades.

E afinal, por que o nome Estalagem? Estalagem significa pousada para viajantes, albergue, hospedaria. Apesar de não ter hospedagem, a experiência não se limita ao restaurante e ao final voltamos para a casa já pensando em quando regressaremos! Afinal, em uma rotina tão sobrecarregada de tarefas e horários, de ficar “preso dentro de casa” a liberdade de um espaço assim tudo que queremos. Adoramos!

Informações adicionais:

  • Para fazer a sua reserva (obrigatório) somente via WhatsApp 11 94339-0030
  • Crianças de 0 a 5 anos – isentas Crianças de 6 a 11 anos – meia (44,00) Acima de 12 anos – inteira (89,00) - inclui alimentação à vontade, das 12h às 17h, inclusive a sobremesa e café; e também toda utilização do espaço (não inclui bebida)
  • Pagamento no local com cartão de crédito, débito e dinheiro. Datas especiais pagamento de sinal antecipado.
  • Sábado, domingos e feriados, das 12h às 17h – neste horário se encerra o restaurante e fica aberto até o último cliente
  • Não aceitam Pet
  • Estacionamento gratuito
  • Número reduzido de pessoas/protocolo Covid sendo que o espaço tem capacidade para 500 pessoas e o limite, por hora, serão de 170 adultos
  • Mapa do local


Fomos convidados pelo Bora.aí para escrever sobre o local, mas todas as informações são de cunho pessoal.