Espetáculo sobre a vida de Malala emociona pais e filhos

Caixa Cultural Brasília

já aconteceu

Todos se encantam com a história de Malala, não é mesmo? Pois esse espetáculo musical infantojuvenil é de se emocionar!

No palco, a peça “Malala, a menina que queria ir para a escola” narra a viagem da jornalista Adriana Carranca ao Paquistão, dias depois do atentado à vida de Malala por membros do Talibã, por defender o direito de meninas à educação. O espetáculo emociona pais e filhos por onde passa. Em Brasília, a peça fica em cartaz entre os dias 13 a 15 de dezembro, no Teatro da Caixa Cultural Brasília.

Esta é a primeira adaptação para o teatro do livro-reportagem da jornalista Adriana Carranca. A jornalista curiosa, desbravadora e inquieta, atravessa meio mundo para descobrir o que aconteceu de verdade com a menina chamada Malala Yousafzai e porque ela estava sendo perseguida.

Era uma missão perigosa, pois a terra natal de Malala, um vale de extraordinária beleza no interior do Paquistão, havia se tornado um território proibido para jornalistas. Vestida como as mulheres do Vale do Swat, a jornalista circula pelas ruas da cidade, se hospeda na casa de moradores locais, conhece as amigas de Malala, sua escola e até mesmo a casa onde morava. O espetáculo tem direção de Renato Carrera e canções originais de Adriana Calcanhoto.

Uma história real e comovente para inspirar pais e filhos a acreditarem no poder transformador da educação.

Saiba mais sobre Malala

Malala Yousafzai nasceu em Mingora, a maior cidade do Vale do Swat, na província de Khyber-Pakhtunkhwa do Paquistão, uma região de extraordinária beleza, cobiçada no passado por conquistadores e protegida pelos bravos guerreiros pashtuns – os povos das montanhas.

Uma região habitada por reis e rainhas, príncipes e princesas, como nos contos de fadas. Malala cresceu entre os corredores da escola de seu pai, Ziauddin Yousafzai, e era uma das primeiras alunas da classe. Quando tinha dez anos viu sua cidade ser controlada por um grupo chamado Talibã.

Eles vigiavam o vale noite e dia, e impuseram muitas regras. Proibiram a música e a dança, baniram as mulheres das ruas e determinaram que somente os meninos poderiam estudar. Mas Malala foi ensinada desde pequena a defender aquilo em que acreditava e lutou pelo direito de continuar estudando.

Usando um pseudônimo, tornou-se correspondente da BBC, através de um blog onde relatava ao mundo o impacto diário do Talibã no Vale do Swat, denunciando o regime de opressão medieval, em choque com os mais elementares princípios dos direitos humanos. Ela fez das palavras sua arma.

A ousadia de Malala, que acabou por selar seu destino, foi declarar publicamente, um ano antes do atentado, que queria ser política para ajudar seu povo. Em 9 de outubro de 2012, aos 15 anos, quando voltava de ônibus da escola, sofreu um atentado a tiro, em retaliação a sua luta pelo direito feminino à educação.

Em seu discurso na ONU – primeira aparição publica após o atentado – Malala prometeu que não seria silenciada e afirmou: “A caneta é mais poderosa que a espada”. Avançou firme em direção ao seu propósito e travou uma luta global contra o analfabetismo, a pobreza e o terrorismo, convocando todos os governos a assegurar a educação obrigatória livre e a elaborar um acordo de paz com intuito de proteger os direitos de meninas à educação. Em 2014 tornou-se a mais jovem vencedora do Prêmio Nobel da Paz.

Programação fornecida pela produção/estabelecimento e sujeita à alteração. Confirme antes de sair de casa.

Horários
de 13/12/2019 a 15/12/2019
Sex a Dom
17h00
Caixa Cultural Brasília
SBS Quadra 4, Lote 3/4
Brasília, DF
70092-900
Brasil
abrir no GoogleMaps 61 3206 9448 website do passeio
Valores
R$ 16,00
R$ 8,00 ( meia-entrada para estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de livro)
Ingressos à venda na bilheteria do teatro. De terça a sexta-feira e domingo, das 13h às 21h e sábado, das 9h às 21h.
Idade recomendada
de 5 a 9 anos
de 9 a 13 anos
livre