A praça para 1001 utilidades

Lina Brochmann
* Por Drica Lobo

Já faz algum tempo que temos visto um movimento de tomadadas ruas, das ciclovias e das praças.

O carnaval vem para reforçar esse movimento, com o brincar nos espaços públicos e é sobre isso que quero falar.

Na semana passada vimos quase quatrocentas pessoas na Praça Adolpho Bloch num piquenique carnavalesco. Tivemos o carnaval noturno das crianças no Parque da Água Branca. Na terça-feira os mini blocos de rua na Vila Madalena. De outubro a dezembro o MuBE abriu espaço para virar a praça das crianças, que podiam levar brinquedo e trocar saberes, o que reuniu 2000 pessoas por lá.

Acredito que, por questão de segurança, esses movimentos são quase sempre coletivos. Mais e mais vemos mães e pais com suas esteiras de yoga ou de praia, com lanchinhos saudáveis, muito líquido e protetor solar, se encontrando na pracinha para brincar, conversar, ler e tomar um pouco de sol.

Fui conversar com alguns líderes deste movimento para saber o que pensavam.

Fomos atrás do Sr. João Maradei, diretor da Ame Jardins, associação que se formou em 2005, graças a um grupo de moradores e hoje conta com aproximadamente 200 e, desde 2010, tem um papel de liderança na adoção das praças.

Começou na Gastão Vidigal, hoje já muito utilizada pelos seus moradores. Eles acabam de entregar a reforma da Praça Morungaba, inaugurada no último dia 15 de fevereiro, graças à vontade de seus moradores e da ajuda de um vereador. As conversas começaram em maio de 2013 e a obra foi entregue em 15 de fevereiro de 2014. Perguntamos para João o que esse movimento precisa para avançar. Ele nos disse : “Os moradores devem apoiar suas entidades, para criar uma associação de pessoas fortes e representativas e conseguir exigir do poder público os cuidados necessários para tornar sua região melhor para se viver”.

Fomos conversar também com Luciane Motta, da Casa do Brincar, responsável pelo movimento dos piqueniques na pracinha. Ela nos disse que a vontade surgiu da necessidade de ter uma única janela para o céu, na antiga escolinha sem verde. E queria um espaço ao ar livre para levar as crianças para brincar. No primeiro encontro, há três anos, que foi numa quinta-feira de manhã, apareceram 30 pessoas e foi super legal! A iniciativa não parou mais… Hoje são 122 mil nas redes sociais.

Se você quiser fazer também, não precisa de muita coisa: antes de cada evento, ela avisa ao responsável pela praça que vai haver o piquenique. Ele providencia a manutenção e a limpeza, antes e depois do evento, normalmente, na praça.

Já a escolha da Praça Adolpho Bloch foi por causa do banheiro e por ser cercada, o que garante o conforto das crianças. A cada evento, ela se surpreende mais e mais com o número de pessoas!

Esse movimento é só o de soltar as crianças para correr, jogar bola, ficar deitadas debaixo de uma bela sombra… já é suficiente para se divertirem.

Todo mundo já sabe que, se o tempo ajudar, tem pracinha para todos se encontrarem!

Nova Praça Morungaba. Crédito: Divulgação.
Nova Praça Morungaba. Crédito: Divulgação.
* Drica Lobo é mãe e fotógrafa, idealizadora do Projeto Jardins da Infância, um guia singular para um tipo especial de educação.