Bora.ai é destaque no principal veículo brasileiro de internet

Lina Brochmann

Saiu hoje uma matéria sobre o bora.ai no Startupi, canal do IG especializado em start ups brasileiras de tecnologia e internet. Veja aqui a publicação completa.

Papo de corredor faz com que duas mães criem startup

18.03.2013 Não é a primeira, nem a última (espero) startup que começa assim, mas a história de Andrea Piazza e Lina Brochmann é mais um exemplo legal de gente que se conheceu em uma empresa grande e decidiu criar algo próprio. As duas mães trabalhavam juntas em uma consultoria e no “papo de corredor” decidiram fazer algo diferente e resolver um problema que tinham em casa. Foi quando nasceu a Bora.aí, um guia de eventos para crianças que permite usar filtros de busca para encontrar os programas de acordo com fatores como a idade da criança, por exemplo. “Eu estava em uma ‘entressafra’ de projetos e queria fazer algo diferente”, lembra Andrea. “A gente percebeu que os grandes veículos cobrem os principais eventos e existem muitos blogs amadores, de mães, que não tem tanto compromisso”, completa Lina. Em maio de 2012, as duas deixaram a empresa onde trabalhavam para criar a plataforma e a versão de testes do site foi ao ar em outubro. “Em dezembro, conseguimos realmente finalizar, terminar o conteúdo e a versão que está hoje no ar ainda é de testes, mas já está completa e funcional”, diz Lina. Funcionando com capital próprio, agora as duas pensam em possivelmente receber um investimento externo. “Queremos estruturar a equipe, expandir o produto geograficamente e até criar aplicativos”, conta Andrea, que afirma que as duas ainda estão pensando em qual seria o formato ideal de investimento para a empresa. O produto funciona só em São Paulo, por enquanto, mas elas pensam em leva-lo para as grandes capitais e talvez um pouco das cidades do interior. “Tem que ter um volume razoável de atividades acontecendo para o site fazer sentido.” Enquanto a expansão não vem, as duas focam seu trabalho na divulgação do site. “Estamos batendo na porta das escolas, para divulgar”, lembra Lina. Com o site em um tamanho considerável, elas pensam em ganhar dinheiro com publicidade e outros produtos e serviços específicos ao público infantil (o formato ainda não foi decidido, então elas preferem não divulgar). http://startups.ig.com.br/2013/papo-de-corredor-faz-com-que-duas-maes-criem-startup/