Era uma vez uma abóbora

avatar de Renata Portenoy
Renata Portenoy

...que virou carruagem!

Quem não conhece a história da Cinderela?

Aqui em casa, a minha abóbora não virou carruagem, mas virou sopa, virou purê, virou petisco e muitos outros pratos deliciosos.

E o melhor de tudo, a abóbora foi plantada por nós!

Você está pensando: “Eu também quero!”. Certo?

Será que ocupa muito espaço? Não!

Dá muito trabalho? Não!

Demora muito pra crescer? Bom, isso depende do que você considera muito…

​Na natureza, cada planta precisa de um tempo para crescer e amadurecer. E esses tempos precisam ser respeitados. Uma beterraba, por exemplo, pode ser colhida 60 dias após o plantio. O alho, um simples alho, pequenininho, demora 150 dias!​

Já a abóbora, precisa de aproximadamente 100 dias, dependendo do clima, do tipo de solo e da quantidade de água recebida.

As abóboras pertencem à família das plantas com o maior número de espécies usadas como alimento pelo homem, a Cucurbitáceas.​

Elas podem ser achatadas ou de pescoço, lisas ou rajadas, algumas mais doces, outras mais salgadas. As mais verdinhas são comidas duras e outras nós consumimos quando estão molinhas. E todas as folhas são comestíveis!

Tem abóbora para todos os gostos!​

Então, como plantar uma abóbora em casa?

Escolha na feira ou no mercadinho a abóbora que faz mais sucesso em sua casa. Compre, de preferência, uma abóbora orgânica.​

Prepare um prato delicioso e coma a tua abóbora, mas separe as sementes.

Deixe-as secar por alguns dias.

Quando estiverem secas você vai poder plantá-las.

Escolha um vaso com furo de ao menos 25 cm de profundidade e 30 cm de diâmetro. Faça uma camada de drenagem no fundo do vaso com argila expandida, depois coloque um pedaço de manta geotêxtil em cima da argila e complete com substrato de boa qualidade, de preferência orgânico.

Com o dedo, faça 2 buraquinhos de 2 cm de profundidade - os buracos devem estar o mais longe possível um do outro, mas sem encostarem na borda do vaso).

Coloque 3 sementes em cada buraco e tampe com uma camada de 1 cm de terra, sem bater (veja o manual de como plantar…).

Deixe o vaso no sol. Quanto mais sol, mais feliz a sua abóbora crescerá. Mantenha o solo sempre levemente úmido, nunca seco, nem encharcado. Tanto a falta quanto o excesso de água podem matar a planta.​

Regue sempre de manhã cedo ou no final da tarde. Se você regar nos horários de sol mais forte, você fritará a sua abóbora! As ramas de abóbora crescem pelo chão ou em trepadeiras. Se quiser que elas cresçam verticalmente, coloque um pedaço de madeira alto (tipo uma estaca) próximo à planta quando ela começar a brotar. À medida que forem crescendo, enrole as ramas com cuidado em volta da estaca e elas começarão a subir. A que temos em casa é uma trepadeira que sobre por uma cerca de bambu.​

Na aboboreira nascem primeiro as folhas e depois as flores. É das flores que se originará o fruto. Quando o fruto começa a crescer, a flor seca e cai (confira algumas imagens na galeria).

Como já falamos, em média as abóboras demoram 100 dias para amadurecer. Quando apresentam uma cor brilhante e uma casca bem dura, as plantas começarão a murchar e provavelmente secar. Então você saberá que está na hora de colher. Faça um teste: se você pressionar a unha na abóbora e não ficarem marcas, é que ela está madura mesmo!

Se tiver, utilize tesoura de jardinagem para cortar o caule. Caso não tenha, pode usar uma tesoura comum, desde que esteja bem limpa. Corte deixando alguns centímetros do caule, na parte superior da abóbora. Isso impedirá que ela apodreça rápido demais. Ao retirá-la, não pegue em sua haste pois ela poderá quebrar e apodrecer, eliminando a chance de mais frutos nascerem neste mesmo lugar.

Admire a sua abóbora! Fruto do seu trabalho, de seu empenho e de seu cuidado. Tire muitas fotos…​

Lave bem e escolha a receita. Bom apetite ao comer a abóbora mais deliciosa do mundo, a sua!

por Renata Portenoy em colunas, diversos, Cidadania e Sustentabilidade.

Brasileira. Mãe de dois garotos uruguaios, Shir e Guily (10 e 7 anos). Esposa de um argentino. Ou seja, bagunça latino-americana na própria casa. Arquiteta e Urbanista, mestre em Gestão e Educação Ambiental, valoriza muito a qualidade de vida na cidade e o uso consciente dos recursos naturais. Curte andar a pé e de bike. Pratica ioga e gosta de nadar. Cultiva hortas orgânicas para si e para os outros. É apaixonada por arte, cinema, livros e ama viajar sozinha ou com a família.