Um pouco de vida “normal” com a volta às aulas

Vanessa Skilnik

Na coluna da Renata Cafardo no jornal O Estado de S.Paulo do último domingo, ela relaciona o retorno presencial à escola à volta a “vida normal” neste segundo ano de pandemia.

Após um longo período de discussões acaloradas sobre os benefícios x risco da volta às aulas presenciais, cada vez menos famílias têm resistido a permitir que seus filhos voltem para a escola: “O que era uma minoria no ano passado, com pais envergonhados de dizer no grupo de WhatsApp que queriam a volta das crianças, hoje se inverteu. Não que a pandemia tenha ficado mais branda, mas quase um ano fora da escola acabou trazendo novas informações, derrubando medos, convicções e também esgotando as famílias.”, segundo a jornalista.

Depois de quase um ano de pandemia, que nos deixou ansiosos, com medo, instabilidade financeira e trabalhando com crianças a tiracolo, um pouco de “normalidade” pode ajudar a termos uma relação mais saudável com nossos filhos. “A escola á esse gostinho de vida normal para as famílias. Mesmo que continuem não visitando parentes, frequentando restaurantes, pulando carnaval”, Ela continua “A mensagem que a escola passa é muito diferente da que a criança vinha assimilando há 12 meses. É a de que precisamos estar perto uns dos outros para aprender, crescer, sobreviver.”

A jornalista destaca diversos fatores que contribuem para esse movimento: a meta do novo presidente dos Estados Unidos para rápida abertura das escolas, as crianças e adolescentes que optaram por ficar em “casa” acompanhando vendo amigos na escola - a aula ao vivo e simultânea já é uma realidade - e novas informações que chegam aos pais sobre os efeitos amplos impactos negativos de manter as crianças fora da escola.

Uma matéria no The New York Times sobre “a infância sem outras crianças” abordou a importância da interação entre as crianças para a formação de redes neuronais e lembrou o quanto o isolamento tem causado de danos aos pais, que podem interferir no relacionamento com os filhos, para o bem ou para o mal.

Mesmo contentes em ver nossas crianças de volta, vamos cobrar se o cumprimento dos protocolos de distanciamento e higiene.

Renata Cafardo é jornalista especializada em Educação, repórter especial do Estadão e fundadora da Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca)

Escola foto criado por freepik - br.freepik.com