Divulgação

Circo para quem está em casa

já aconteceu

​O 13º Festival de Circo e Artes de Rua será realizado online e de forma gratuita (possibilidade de colaboração por meio do chapéu virtual) - entre os dias 9 e 19 de julho de 2021, para marcar os 18 anos da ocupação artística Circo no Beco, tradicional coletivo paulistano sediado na Vila Madalena, bairro de São Paulo.

Mais de 100 artistas estarão em cena, com espetáculos de grupos e solo para adultos e crianças, shows de variedades, cinema a céu aberto circense, musicais e DJs, ações formativas (com inscrições online), competições de habilidades e apresentações de artistas internacionais, entre outras atrações.

Originalmente previsto para o formato presencial, como foram as 12 edições anteriores, o festival desta vez se reinventa online, devido às restrições causadas pela pandemia da Covid-19. Diante desta nova perspectiva, amplia o propósito de levar a arte circense a novas plateias e, ao mesmo tempo, reunir artistas que construíram sua história. Todas as performances serão gravadas exclusivamente para o evento e colaborações espontâneas serão destinadas aos artistas participantes, recriando a tradição que sempre marcou as artes que ocupam as ruas. A programação pode ser acessada e assistida pelo site www.circonobeco.com.br, pelas plataformas Twitch e YouTube e pelas redes sociais (@circonobeco no Facebook, Instagram e TikTok).

Programação​

9 de julho – Sexta-feira 14h - Oficina Formativa – Produção de Logotipo e Identidade Visual Com Vã Villa: Workshop de atividades práticas para produção de logotipo e identidade visual, desde o estudo da tipologia até aspectos técnicos. A atividade aborda a identidade visual através de símbolos, imagens e cores para produção de cartazes e postagens, além de estudo de foto e vídeo para registro de material para divulgação em rede social e inscrição em editais.

17h - Espetáculo – “O Macaco E A Lua” Com Cia Pé No Asfalto: Dois palhaços pescadores se perdem em alto mar. Em busca de comida, eles acabam pescando um livro de contos africanos e iniciam uma travessia imaginária até a África. Através da leitura da lenda africana O Macaco e a Lua, eles entram em uma grande aventura onde descobrem a origem do tambor e suas raízes de matrizes africanas.

18h – Conexão Mundial (Entrevistas com tradução simultânea) com MC: Rafé. O multiartista Rafé integra a cia Musicircus, com quem produz e apresenta shows, oficinas e projetos em instituições culturais, festivais e ONGs no Brasil e em outros 35 países. Nesta atividade, realizará entrevistas com artistas circenses internacionais, com tradução simultânea.

20h – Especial “Varieté” com Lu Lopes: O especial contará com as participações dos artistas: Tetê Purezempla , palhaça musical, atriz, cantora, compositora e instrumentista, com longa trajetória em encontros, convenções e festivais de circo pelo país; Nino Moncialez,, integrante do DuoVerse, especialista em modalidades como parada de cabeça, malabares e trapézio de voos, com sólida carreira internacional; João Diniz da Cia. Mastrônica, que se dedica exclusivamente à pesquisa e à prática do mastro chinês e apresentará o número “Prenda”, que traz a comicidade circense à modalidade; Gêmeas Dia,s, voltadas desde 2004 à pesquisa e performance por meio de diversas linguagens artísticas, como circo, dança e teatro, com passagens por países como Itália, Egito e Turquia, com o número “Arco Reflexo”; e Jorge Ribeiro , artista circense profissional, pesquisador de malabarismo, acrobacias e palhaçaria, sendo reconhecido mundialmente pela técnica de rolling com bolas de cristal.

10 de julho – Sábado

​16h – Espaço Cirquinho MC: Tchutchuco – Renato Paio: Programa educativo no formato de show de variedades, com atrações, curiosidades, dicas, brincadeiras e diversão para crianças de até 12 anos. O tema “Reciclagem” será abordado a partir de várias linguagens das artes e focado no aspecto pedagógico e recreativo das ações. Participam desta atividade como convidados: Cilla Amaral, Leandro Delgado e Meiry “Fadinha”.

20h – Especial “Aéreos” Direção: Marian Del Castillo Hernández e Fagner Saraiva O espetáculo realça a diversidade dos aéreos, com modalidades e temáticas variadas e revivendo as memórias do Circo no Beco. Em cena estarão: Josi Stevanato , bailarina que há 8 anos se dedica à arte dos aéreos, participando de competições nacionais e internacionais; Alessandra Fleury, que acumula apresentações em diversos palcos, programas de TV e eventos corporativo pelo mundo (Argentina, Alemanha, Suécia e China, entre outros) e mostra uma pesquisa a partir da lira circense tradicional; Duo Lira, com a acrobata Aline Bernardinelli e a bailarina Manoela Schranck, em coreografia baseada no espetáculo “Alice’s Wonderland”, do Royal Ballet; Fábiu Galvão , especialista na modalidade há 10 anos, com temporadas na Turquia, Bélgica, Holanda e outros países europeus; e Helder Vilela, que traz um ato de aerial straps que aproxima a arte circense da cultura africana.​

11 de julho - domingo

16h – Espaço Cirquinho, MCs: Babbaloo e Pimentinha: Programa educativo no formato de show de variedades, com atrações, curiosidades, dicas, brincadeiras e diversão para crianças de até 12 anos. O tema “Ecologia” será abordado a partir de várias linguagens das artes e focado no aspecto pedagógico e recreativo das ações. Participam desta atividade como convidados: Adriana Marques, Alexandra Lahun Manik, Léo Circus Fever e Davi Mequetra (Capitão Pogresso)

18h – Cine Beco com o Filme: “Minha Vó Era Palhaço”: Documentário sobre a trajetória artística de Dona Maria Eliza Alves dos Reis, a primeira palhaça negra do Brasil (Xamego), destacando também a influência dos negros no espetáculo circense e o preconceito que sofriam nesse meio, especialmente a partir dos anos 1940. Direção de Ana Minehira e Mariana Gabriel, neta da homenageada. Ao final da sessão, ela e Daise Gabriel, filha de Maria Eliza, participam de um debate online.

20h –Show Mustache e Os Apaches: Banda criada em São Paulo há 10 anos, formada por Pedro Pastoriz (voz, guitarra, kazoo e banjo), Tomás Oliveira (voz, baixo e piano), Axel Flag (voz, percussão e viola), Jack Rubens (voz, bandolim, lap steel, dobro e guitarra) e Lumineiro (voz, washboard e bateria). O quinteto, que possui três álbuns lançados e uma turnê europeia no currículo, utiliza instrumentos pouco convencionais e combina folk, bluegrass jazz e música cigana.

12 de julho – Segunda-feira

17h - Espetáculo – “Sob O Mesmo Teto” Com Cia Gravitá: Um professor muito ocupado com sua rotina e suas manias, despretensiosamente, encontra companhia em uma gata atropelada. Ele a salva das ruas. Ela o salva da solidão. Espetáculo com Débora Ishikawa e Alessandro Coelho, dirigidos por Michelli Rebulho (da Cia. Diálogos Acrobáticos). A partir de jogos corporais, cômicos e acrobáticos, os personagens se encontram e criam um laço de amizade que transforma a forma como ambos enxergam a vida.

18h – Oficina e Treino Livre Com Filipe Farinha Filipe Farinha é da segunda geração de artistas da família, formado pela Escola Nacional de Circo em 2006. Especializado em funambulismo, arte circense que consiste em caminhar na chamada corda bamba, foi o primeiro brasileiro a se equilibrar sobre os cabos do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro. Artista múltiplo, Filipe atua com trapézio voador, acrobacia, malabarismo, monociclo, perna de pau e pirotecnia.

20h – TV CnB Papo com amigos, frequentadores e admiradores do Circo no Beco e artes de rua.

15 de julho – Quinta-feira

19h - Espetáculo – “Dr. Friky” Com Gonzalo Caraballo: Dr. Friky é um saltimbanqui contemporâneo que viaja pelo mundo compartilhando sua excêntrica maneira de ver as coisas. Inspirado em desenhos animados e personagens de quadrinhos, constrói cenas repletas de truques e gags originais, elaboradas através da manipulação de objetos do cotidiano e da comedia física sobre uma forte base de humor ácido, propondo ao público refletir sobre questões humanitárias.

16 de julho – Sexta-feira

14h – Oficina de Malabarismo de Rebote Com Chino Mario: Em tempos de pandemia, o malabarismo de rebote é uma das atividades muito bem adaptável ao treinamento dentro de casa. A oficina abordará fundamentos da técnica, dicas e truques, referências e dúvidas. Para participar, é necessário dispor de bolinhas de rebote e espaço adequado para exercícios práticos online.

17h - Espetáculo – “Acrobatas Saltitantes” Com Karen Nashiro: Katita e sua amiga pulga Juarez fogem de um trabalho onde eram exploradas. Juntas percebem o potencial que ambas têm e decidem criar um espetáculo de circo para sobreviver.

18h – Conexão Latina (Entrevistas com tradução simultânea) com MC: Tchatcho Noite “Varieté” com a participação de artistas de sete países convidados.

20h – Cine Beco com “A Paixão de Cristo”: Do tradicional Circo-Teatro Guaraciaba, o filme sairia em circulação pelas cidades paulistas, mas devido à pandemia foi cancelada e virou um longa-metragem.

17 de julho – Sábado

16h – Espaço Cirquinho com MCs: Piruá e Rodrigo Bruggemann: Programa educativo no formato de show de variedades, com atrações, curiosidades, dicas, brincadeiras e diversão para crianças de até 12 anos. O tema “Didática” será abordado a partir de várias linguagens das artes e focado no aspecto pedagógico e recreativo das ações. Participam como convidados: Margo Guerra, Dani/Olívia, Lúcio Maia e Júlia Bertollini.

20h – Especial “Cyberpunk” com Direção: Cesar Deleon e MC: André Sun (Xininha): Cyberpunk é real resistência, a tecnologia em forma de luta, a perspectiva de mundo onde as escolhas sobre sexualidade e felicidade são próprias e não determinadas por outros. André Sun (@andre.sun) é ator, professor e gestor cultural, pesquisador do teatro de rua e da cultura popular, das manifestações brasileiras tradicionais e urbanas com princípios e técnicas da palhaçaria e da comédia teatral; fundador da Cia de Teatro de Campinas (SP), já realizou mais de 100 apresentações e participou de mais de 20 festivais; Irmãos Figura é um duo de malabarismo, teatro físico e comicidade, formado por Danillo Tenucci e Victor de Angelo, que traz ao festival um número repleto de truques e trejeitos; Vulcanica Pokaropa é travesti formada em fotografia, mestra em teatro pela UDESC e pesquisadora da presença de transexuais, travestis e não-bináries no teatro e performance, ela apresentará um número que combina poesia e bambolê de fogo; Camila Costa é produtora e bacharel em Letras pela USP, dedica seus estudos circenses a descobrir maneiras de portar no solo e no trapézio, com passagens pelo Circo no Beco, Tendal da Lapa e Fábrica de Cultura; Chris Cruz apresenta o número do bastão mágico; e Rafael Lapa traz seu trabalho como artista educador, cantador, poeta, bonequeiro e palhaço, focado em pesquisas, estudos e vivências na linguagem da Afro-Diáspora Ameríndia.

18 de julho – Domingo

16h – Espaço Cirquinho com MCs Caravana Tapioca: Cavaco e Nina Programa educativo no formato de show de variedades, com atrações, curiosidades, dicas, brincadeiras e diversão para crianças de até 12 anos. O tema “Cidadania” será abordado a partir de várias linguagens das artes e focado no aspecto pedagógico e recreativo das ações. Participam desta atividade como convidados: Denise Reco, Vanda Cortez e Bella Spigolon (Fadinha)

20h – Show com King Rock Shorts: Formado por Marcelo Brocotó e Luizinho Beltrame, o duo mescla rock e bom humor na criação de repertório autoral, produzindo suas faixas de forma e videoclipes de forma independente e disponibilizando-os em plataformas de streaming e redes sociais.

19 de julho – Segunda-Feira

18h – Competição de Habilidades com MC: Priscila Senegalho: Atriz, palhaça, diretora e arte-educadora, atua desde 2003. Possui formação em Arte Dramática pela Escola de Arte Recriarte, Humor pela SP Escola de Teatro. Co-fundadora da Trupe do Fuxico, é também palhaça na Trupe Quintal Circense (São José dos Campos-SP), curadora e organizadora do Encontro de Circo e Educadores da Universidade de São Paulo (CIRCUSP) e organizadora do Picadeiro do Fuxico, que leva o circo às periferias da capital paulista. 20h – TV CnB Papo com amigos, frequentadores e admiradores do Circo no Beco e artes de rua.

21h – Especial “Farol” com MC: Marquinho Gil: Artistas de rua exibem seus melhores números a cada sinal vermelho em um semáforo virtual. Com: Luiz Felipe Choco , trazendo um número criado a partir da pesquisa de malabaristas do ABC paulista que explora técnicas de passe de claves de luz em grupo; Danillo , artista formado no Galpão do Circo do Projeto Aprendiz, que mescla humor, teatro físico, malabarismo com bola e equilíbrio; Tapete Preto, com seis anos de experiência como profissional do circo, aprendiz das ruas e de territórios distintos, apresentando um número de malabares com 9 objetos distintos; Mar, outro artista que também veio das ruas e há oito anos tem entre suas principais habilidades o malabares com hula hoops e claves; Matheus Davi , formado pelo Circo Espaço, de Belo Horizonte (MG), com experiência em aulas de circo, shows e espetáculos temáticos, mostra número tradicional de escada livre, com acrobacias e malabares.

Programação fornecida pela produção/estabelecimento e sujeita à alteração. Confirme antes de sair de casa.

Horários
de 07/07/2021 a 20/07/2021
diariamente
00h00
Grátis.
Idade recomendada