Exposição Marie Curie Divulgação

Exposição sobre a cientista Marie Curie

Museu da Energia Itu

​Marie Curie é uma das maiores cientistas da história. A primeira mulher a ganhar o Prêmio Nobel, sendo também a primeira pessoa e a única mulher a ganhá-lo duas vezes, além de ser a única pessoa a ser premiada em dois campos científicos diferentes: um de Física (1903), pelas suas descobertas no campo da radioatividade, e outro de Química (1911), pela descoberta dos elementos químicos: Rádio e Polônio.

A exposição “Marie Curie 1867-1934” está em cartaz no Museu da Energia de Itu, que ocupa os salões de um grande sobrado do século XIX, e conta sobre a vida dessa grande cientista por 13 painéis. A mostra foi criada em 2011, ano consagrado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional da Química, em comemoração ao 100º aniversário do Prêmio Nobel de Química, conquistado pela cientista franco-polonesa Marie Curie.

Em 2011 a exposição já esteve em cartaz por 3 meses no Museu Catavento e foi promovida pelo Consulado Geral da França em São Paulo. Desenvolvida pelo Instituto Curie de Paris, a mostra tem como objetivo levar ao conhecimento público os feitos da cientista.

A exposição Marie Curie 1867-1934 é realizado pelo Museu Catavento com o Museu da Energia de Itu.

Informações:
Período: 25 de agosto a 21 de dezembro de 2021
Horário: De quarta a sábado, das 10h às 17h
Local: Museu da Energia de Itu
Classificação indicativa: Livre para qualquer idade
Capacidade: 10 pessoas por horário (necessário agendamento prévio pelo link)

  • Se você quiser conhecer mais sobre a Marie Curie, indicamos o filme “Radioactive”, na Netflix
  • Sobre a cientista:Marie Skłodowska-Curie, nascida Maria Salomea Skłodowska (Varsóvia, 7 de novembro de 1867 — Passy, 4 de julho de 1934), foi uma física e química polonesa naturalizada francesa, que conduziu pesquisas pioneiras sobre radioatividade. Ela foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Nobel, sendo também a primeira pessoa e a única mulher a ganhá-lo duas vezes, além de ser a única pessoa a ser premiada em dois campos científicos diferentes. Ela teve papel fundamental no legado da família Curie, de cinco prêmios Nobel. Ela também foi a primeira mulher a se tornar professora na Universidade de Paris e, em 1995, se tornou a primeira mulher a ser sepultada por seus próprios méritos no Panteão de Paris. Nascida em Varsóvia, no que era então o Reino da Polônia, parte do Império Russo, ela estudou na clandestina Universidade Volante de Varsóvia e iniciou seu treinamento científico prático na mesma cidade. Em 1891, aos 24 anos, seguiu sua irmã mais velha, Bronisława, para estudar em Paris, onde obteve seus diplomas superiores e conduziu seus trabalhos científicos subsequentes. Ela compartilhou o Prêmio Nobel de Física de 1903 com seu marido, Pierre Curie, e com o físico Henri Becquerel. Ela também ganhou o Prêmio Nobel de Química de 1911. Suas realizações incluem o desenvolvimento da teoria da “radioatividade” (um termo que ela cunhou), técnicas para isolar isótopos radioativos e a descoberta de dois elementos químicos, o polônio e o rádio. Sob sua direção, foram conduzidos os primeiros estudos para o tratamento de neoplasias usando isótopos radioativos. Ela fundou o Instituto Curie em Paris e sua contraparte em Varsóvia, que continuam sendo grandes centros de pesquisa médica. Durante a Primeira Guerra Mundial, ela desenvolveu unidades de radiografia móvel para fornecer serviços de raio-X a hospitais de campanha. Apesar de ter-se tornado uma cidadã francesa, Marie Skłodowska-Curie, que usava os dois sobrenomes, nunca perdeu o senso de identidade polonesa. (Fonte/Wikipedia)

Programação fornecida pela produção/estabelecimento e sujeita à alteração. Confirme antes de sair de casa.

Horários
de 25/08/2021 a 21/12/2021
Grátis. Livre.
Museu da Energia Itu
Rua Paula Souza 669
Itu, SP
Brasil
abrir no GoogleMaps
Idade recomendada