Museu Judaico São Paulo Denise Magalhães

Museu Judaico de São Paulo

Museu Judaico de São Paulo

​O Museu Judaico de São Paulo (MUJ) abriu suas portas em 2021 no local que era anteriormente o templo Beth-el, criado em 1928 por um grupo de imigrantes vindos da Europa. Projetado pelo arquiteto Samuel Roder para conceber uma sinagoga no estilo bizantino, o prédio do Templo com seus sete lados, enfatiza os sete dias da Criação, as sete cores do arco-íris. O MUJ é instalado em um edifício tombado pelo patrimônio municipal e guardião do maior acervo judaico do país, constituído integralmente por doações. ​

O projeto visa cultivar as diversas expressões, histórias, memórias, tradições e valores da cultura judaica, em diálogo com o contexto brasileiro. É comprometido com a coexistência entre os variados grupos sociais e identidades, com o combate à intolerância e ao preconceito, com a educação e a transmissão intergeracional, valores a um só tempo universais e judaicos.

​As exposições do Museu Judaico de São Paulo são voltadas tanto para dentro da comunidade quanto para o público não-judeu. A partir de obras multimídia, objetos históricos, documentos e fotografias, o museu apresenta quatro exposições.

EXPOSIÇÃO “A VIDA JUDAICA” (permanente)

Aborda os acontecimentos cotidianos da vida judaica, sob o prisma religioso e cultural. Apresenta os costumes e rituais pelos quais o judaísmo se conecta com o sagrado, demarca o tempo, estuda seus textos, festeja valores, elege seus alimentos típicos e vivencia coletivamente cada etapa da vida.

EXPOSIÇÃO “JUDEUS NO BRASIL: HISTÓRIAS TRANÇADAS” (permanente)

Aborda a pluralidade da presença judaica no Brasil a partir dos diversos fluxos migratórios ao longo de 500 anos e dos diversos pólos de implantação das comunidades judaicas no Brasil. A exposição mostra também como a comunidade judaica brasileira apresenta inúmeras interseções e confluências na contemporaneidade, embora tenham diferentes matrizes culturais e geográficas. Alguns objetos apresentados na mostra remetem aos vínculos de Dom Pedro II com o judaísmo no Brasil Império. Ela inclui, por exemplo, um fac-símile de um fragmento de uma Torá que pertenceu ao imperador, encontrada na Quinta da Boa Vista, antiga residência imperial desde a chegada da Corte Portuguesa ao Brasil, hoje no acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro.

EXPOSIÇÃO “DA LETRA À PALAVRA” (permanente)

Essa mostra investiga as relações, na arte contemporânea, entre a escrita e as artes plásticas, entre imagem e texto, entre a escrita como desenho e a presença das palavras nas pinturas. A exposição tem curadoria de dois artistas plásticos - Lena Bergstein e Sergio Fingermann - e reúne 32 artistas plásticos contemporâneos, propondo uma grande diversidade poética e indagações plásticas e teóricas que fomentam a livre reflexão. Além das exposições, o MJU mantém ações educativas fixas com visitas mediadas com grupos agendados e espontâneos, vistas teatralizadas, contação de histórias, mediação de leituras, encontros com professores, cursos, palestras e ações territoriais.

EXPOSIÇÃO “INQUISIÇÃO E CRISTÃOS NOVOS NO BRASIL: 300 ANOS DE RESISTÊNCIA” (até 28/3)

A exposição temporária revela o funcionamento do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição e a luta dos cristãos-novos para reconstruir suas vidas no Brasil durante os 300 anos de vigência da Inquisição. Sobretudo sobre a vida dos judeus ibéricos, a Inquisição marcou o povo judeu por fortes discriminações e perseguições. Durante a inquisição judeus foram obrigados a migrarem e a converterem-se publicamente ao cristianismo, mas muitos mantiveram clandestinamente as práticas e crenças judaicas em espaços privados.

VISITAS MEDIADAS

Para as visitas mediadas é necessário fazer um agendamento. Elas ocorrem de terça a sexta às 11h, 14h e 16h e sábados e domingos às 15h.

VISITA TEATRALIZADA

A Visita Teatralizada realiza uma viagem no tempo com os educadores-atores no papel de imigrantes, que carregam malas cheias de memórias em um trajetos do museu. A programação inclui leituras compartilhadas do projeto Livro Vivo, na qual o público se envolve nas histórias e temáticas das exposições em cartaz. Terças às 13h, quintas às 15h e sábados às 14h.

VISITA MEDIADA EM LIBRAS

Visitas acessíveis em Língua Brasileira de Sinais – Libras às exposições em cartaz no Museu Terças e sábados às 11h, 14h e 16h. (mediante agendamento).

CONTAÇÃO DE HISTÓRIA

Utilizando bonecos, adereços e músicas, os educadores apresentam histórias da tradição Judaica, da cultura popular e da literatura universal que dialogam com conceitos do Museu. Terças às 15h e quintas às 13h, sábados às 10:30h e 12:30h (sessão com LIBRAS) e domingos: 10:30h e 14h.

Informações

Rua Martinho Prado, 128 de terça a domingo, das 10h às 18h

Email para agendamento: agendamento@museujudaicosp.org.br

Ingresso inteiro R$20,00 (contribuição sugerida)

Gratuidade:

  • Em respeito ao Shabat, dia sagrado de descanso para os judeus, o sábado será gratuito para todas as pessoas.
  • Menores de 5 anos (Acompanhados por responsável, apresentando documento de identidade)
  • Pessoas com deficiência e um acompanhante Jovens de baixa renda
  • Professores e grupos de escolas municipais, mediante agendamento prévio (Professores não acompanhados de escolares terão gratuidade apresentando documento profissional ou holerite do mês anterior)
  • Grupos de instituições sociais sem fins lucrativos que atuem com pessoas com deficiência ou em situação de vulnerabilidade social, mediante agendamento prévio Passaporte dos Museus (com apresentação do Passaporte de Museus)

Acompanhe também:

Siga nosso Instagram @boraai_sp e acompanhe em primeira mão todas as novidades em São Paulo para crianças

Programação fornecida pela produção/estabelecimento e sujeita à alteração. Confirme antes de sair de casa.

Horários
Ter a Dom
das 10h00 às 18h00
Museu Judaico de São Paulo
Rua Martinho Prado, 128, Bela Vista.
São Paulo, SP
01306-050
Brasil
abrir no GoogleMaps 11 3258 1396 website do passeio
Valores
R$ 20,00 sugerido
Idade recomendada
livre