Rosangela Renno na Pinacoteca de São Paulo Renato Stockler

Rosângela Rennó na Pinacoteca de São Paulo

Pinacoteca

​A Pinacoteca de São Paulo inaugura exposição panorâmica Pequena Ecologia da Imagem de Rosângela Renno no Edifício Pinacoteca Estação, com 130 obras entre 1987 e 2021 para celebrar os 35 anos de carreira da artista.

A mostra é dividida em 3 espaços. No primeiro encontramos trabalhos do início da carreira de Rosângela Rennó, quando predominava o recurso aos arquivos de família, de tom autobiográfico, e uma autorreferência dos processos e materiais fotográficos. A série Pequena Ecologia da Imagem, 1988, obra título da mostra, está nesta sala e parte dos álbuns de fotos tiradas por seu pai. Rennó manipula os elementos da imagem, deixando ora muitos escuros, apenas as silhuetas, e faz comentários visuais e textuais nas próprias fotos reveladas. Na sala, há também obras posteriores, como a série Corpo da alma (2003), feita a partir de fotos de jornais em que familiares de desaparecidos portam fotografias para demonstar sua busca. A artista reproduz essas imagens e, a partir delas, reflete sobre o papel da fotografia como atestado de existência, muito mais do que apenas memória.
Na segunda sala, o visitante terá acesso a alguns trabalhos do projeto Arquivo Universal (1992-), uma das séries mais longas e ainda em curso da artista, que consiste em uma coleção de matérias de jornais onde se faz referência a uma fotografia que está ausente. Os relatos, como, por exemplo, “a mulher indiana, V., tirou de sua roupa a foto encardida”, são diagramados por Rennó e podem ser apresentados em contornos simples ou até mesmo tornarem-se parte de uma instalação com um design de luz próprio, é o que acontece em Hipocampo (1995-8), que está presente na mostra.

No último eixo será exposto o projeto inédito e ainda em construção Eaux des colonies (2020-), instalação com frascos de perfume que é resultado da residência artística de Rennó em Colônia, na Alemanha, realizada em 2020.Para este mais recente trabalho, Rennó retrata o espírito expansionista do colonialismo, ao abordar a história da água de colônia. Com o crescimento das rotas mercantis na Europa, o elixir passou de objeto de desejo, símbolo de um estrato social, a sinônimo para qualquer tipo de perfume, atravessado inclusive por uma prática de falsificação que atingiu várias partes do mundo.​

A curadoria é de Ana Maria Maia, que buscou dar um direcionamento para o modo como a artista observou e comentou um imaginário histórico brasileiro e suas persistências no presente. A organização expositiva abandona a cronologia para uma apresentação com bases nos assuntos tratados de forma persistente e reincidente no decorrer da sua trajetória.

Serviço:

  • Pequena ecologia da imagem Mostra panorâmica da artista Rosângela Rennó
  • De 02/10/21 a 07/03/22
  • Entrada gratuita, com reserva pelo site www.pinacoteca.org.br

Siga nosso Instagram @boraai_sp e acompanhe em primeira mão todas as novidades em São Paulo para crianças

Programação fornecida pela produção/estabelecimento e sujeita à alteração. Confirme antes de sair de casa.

Horários
de 02/10/2021 a 07/03/2022
Pinacoteca
Praça da Luz 2, Bom Retiro
S?o Paulo, SP
01120-010
Brasil
11 3324 1000 website do passeio
Idade recomendada